Anjos e Demônios

A primeira chuva chegou

Você costumava querer sair

Eu tão mais sério resistia

Mas você vencia por tanto insistir

 

As gotas molhavam seu rosto

Teu olhar ofuscava tudo ao redor

Essa imagem hoje é como um quadro

Pintado a óleo e sangue na minha pele

 

Cada momento hoje é tão presente

Cada segundo faz o peito se encolher

Cada história traz um rio aos meus olhos

Cada palavra e eu me lembro de você

 

Ele acordou naquele dia

Decidido que não podia mais agüentar

Aquele choro de fome tão constante

E o espelho o chamando de incapaz

 

Foi tão fácil conseguir a arma

Que naquela tarde mudaria minha vida

Ele saiu pronto pra tudo

Anjos e demônios apontando o caminho

 

Eu me lembro de você….

Eu me lembro de você….

Eu me lembro de você….

Eu me lembro de você….

 

E quis o acaso que eu estivesse lá

Tanta tensão, tanto medo naquelas mãos

Medo transformado em morte no disparo fatal (no clique do gatilho)

Eu, impotente, lutando, gritando em vão…

 

Eu me lembro de você….

Eu me lembro de você….

Eu me lembro de você….

Eu me lembro de você….

 

Eu me lembro de você

Sorrisos sinceros, gritos de dor

Impossível esquecer

Eu me lembro de você

Share

Comentários no Facebook

comentários no Facebook

Um comentário

Deixe uma resposta

Seu email nunca é divulgado.Campos obrigatórios são marcados *