Uma coleção e tanto

E uma desfaçatez ímpar, é claro. Mas preciso ser mais respeitoso a partir de agora (e cínico), vou me dirigir agora a “gerenta” do país, ops, a presidenta.

É culpa da direita, Dilma, fica tranquila. Não há, nesse mundo, quem possa apontar razões para que o país tenha colapsado por esse breve momento. O Lula (guru) e o João Santana (marqueteiro) já devem ter tranquilizado e dito que isso é só uma “marolinha”. (Que outro presidente no mundo já se reuniu a marqueteiros em tempos de crise?)

Eu, que não sei de nada, decidi fazer um apanhado de algumas coisas que têm me dito, esses dias. Na verdade, esses eventos tinham “passado batidos” por mim. Também acho que esse povo anda muito “reclamão”, Dilma. Eu não vi nada demais, mas, por via das dúvidas, estou reunindo aqui a lista para facilitar o seu acesso:

  • Seu partido coordenou o maior esquema de compra de parlamentares da História desse país. Sempre que mencionam esse fato começam com: “nunca antes na história desse país”, não sei por que…
  • Os condenados desse esquema, o tal “Mensalão”, permanecem livres, sabia? Juro, até fui ler de novo pra me certificar.
  • Alguns deputados “mensaleiros” condenados, pelo STF, assumiram mandatos na câmara. Impressionante, a senhora tinha ouvido falar disso?
  • Esses mesmos deputados, por intermédio de um laranja qualquer, decidiram ser muito importante reduzir áreas de investigação no país. Uma tal de PEC 37, ao que parece, que tira poderes de investigação do Ministério Público, presidenta, e já está pra ser votada. Como assim?
  • A despeito de vocês estarem há 10 anos tirando milhões e milhões da miséria, pobreza etc, vocês passaram os 20 anos anteriores ao seu “reinado”, combatendo a corrupção e o jeito de fazer política “do passado” e, de repente, vimos o seu guru Lula fazendo isso e muito mais.
  • Quando você assumiu, resolver dar uma faxinada. Mandou cada político envolvido em corrupção para a rua, mas percebeu que não ia sobrar ninguém. E o apoio, então, sumiu. Aí, o Lupi te chamou de canto e, voilá, era mesmo coisa pra inglês ver. Enganou um pessoal aí, até. A mim também, confesso. Depois, andamos pra trás (ou sempre entivemos no mesmo lugar, né).
  • Você, Dilma, minha querida, apoiou a eleição de dois políticos de história maculada para liderarem o congresso nacional. Renan Calheiros e Henrique Alves.
  • Renan, só pra tipificar os seus aliados dessa Era PT-Pragmático, havia renunciado à beira do precipício, para não perder direitos políticos. Ele voltou e, a despeito de 500 mil assinaturas pedindo a cabeça do rapaz, senhora presidenta, ele continua lá. Ao seu dispor. E você ao dispor dele, é claro. E o Henrique, vale lembrar, é investigado pelo Ministério Público (o mesmo que querem esvaziar).
  • Um deputado homofóbico e racista assumiu a presidência da comissão de direitos humanos da câmara. Tudo isso, porque antigamente, o seu partido não abria mão dessa comissão, por ser muito importante. Agora, a deixou por aí em mais alguma tenebrosa transação. Ficou para o partido do peixe, o “famoso” PSC, que nos trouxe o pastor-símbolo do que existe de pior em cada religião: a intolerância e a ignorância: Marco Feliciano.
  • Esse mesmo personagem que desafiou todos vocês, à época em que assumiu, agora desafia a história da humanidade e da medicina e acaba de aprovar um projeto de cura gay, reprovado pelo conselho de psicologia.
  • Ah, e sobre a festa (ou farra, como preferir) da Copa e Olimpíadas, parece que 27 bilhões de investimento (ou doação) de dinheiro público está sendo bem visto. Especialmente com orçamentos crescendo 40%, 50%, 60% da noite para o dia (já mencionei tenebrosas transações?). Esse estádio novo que o Lula deu para o time dele não está ajudando muito o entendimento geral. E esse outro aí que vocês fizeram em Brasília e o outro de Manaus que simplesmente não terão uso complicam bem…
  • Educação e saúde pública são lamentáveis, é o que dizem. Andam por aí pedindo pra FIFA baixar um padrão pra hospitais e escolas. Vocês também se ajoelhariam a esses padrões se fossem eles que mandassem?
  • Por falar em construções, esse amigo aí de todo mundo independentemente de partido, o Cavendish, dono da construtora Delta, aparentemente tem causado mal-estar. Principalmente depois que aquela CPI criada por aqueles deputados magoadinhos e vingativos não se mostrou capaz de investigar nada e ninguém. Era tanto rabo preso que foi melhor manter a calça de veludo mesmo.
  • 37% de tudo que produzimos alimenta esse Estado que a senhora decidiu aumentar e aumentar e aumentar (uma fábrica de ministérios e estatais). Isso tem ares de fator de queixa também. Ainda mais com a senhora mantendo esse ministro aí, o Mantega, que não seria colunista do Valor (imagina da The Economist). A sucessão de erros de vocês dois ao conduzir a economia do país. Basicamente a impressão geral é que a condução se dá a base de soluções e não de planejamento. Com o pibinho, isso ficou claro demais, Dilma. Ah, esse exemplo segue para seu governo de forma geral. A Petrobras rumava à bancarrota desde o tempo do Lula, eu sei, mas a Graça, à seu comando não fez melhor. Que fase!
  • Nosso congresso é o mais caro (e possivelmente o mais ineficiente) do mundo, cara líder. Assim, vocês não nos ajudam a ajudar vocês. Imagina, amiga, que quando se divulga que a corrupção no país nos furta aproximadamente 90 bilhões por ano, o número real deve ser o que? 100 bi, 150 bi? Sabe-se lá, né? Calcular pra que mesmo?
  • Até, nosso ídolo, Joaquim Barbosa anda fazendo manobras para aumentar o custo do CNJ em 4 vezes, Dilma! Aí, vamos para onde?
  • Por falar em STF, como assim a PEC 33 permite que submente ao congresso decisões do outro poder. Eu, no seu lugar, mandava logo uma MP criando o poder moderador (aquele do Imperador, lembra). Esse ficaria sempre com o Lula (ou com quem ele indicar).
  • Ah, e esse estatuto do nascituro, minha cara. Aí, não dá. Vale estupro? Vale tudo? O que você está deixando esses seus asseclas fazerem, presidenta. O apelido do projeto é Bolsa Estupro. Sem condições. (Um dos cartazes dos protestos dizia “meu c.. é laico”, achei desrespeitoso, minha senhora, mas por tudo que essa câmara infestada tem produzido, nem me atrevi a criticar.)
  • Parece também, “generala”, que essa história de fechar a porta a novos partidos só pra impedir a Marina de “entrar na rede”, não pegou bem pra você pessoalmente. O PT defendia a pluralidade, se me lembro bem. Depois se acostumou a cooptar os pequenos para tomar-lhes o tempo de tevê (muito bem pago naturalmente com cargos etc etc etc).
  • Sobre os protestos recentes em si, o governador de São Paulo combate um protesto pequeno com ódio e muita bala de borracha. Sinal dos tempos, cara ex-guerrilheira. Parece um novo estado de exceção. No Rio, o Cabral colocou a tropa na rua pra aterrorizar as pessoas e espalhar o medo de sair de casa para apoiar protestos. Estado de exceção e democracia não combinam, minha caríssima vítima de tortura. Você devia entender bem do que estamos falando e o impacto disso. Quando a democracia cessa, mascáras e destruição se justificam, Dilma, ou foi por outro motivo que a senhora pegou em armas.

Depois desse breve compêndio (que omite, não intencionalmente, outros tantos eventos similares), estou estupefato, presidenta. De onde é que vem tanta indignação?

Share

Comentários no Facebook

comentários no Facebook

4 Comentários

Deixe uma resposta

Seu email nunca é divulgado.Campos obrigatórios são marcados *